Arquivo do mês: março 2009

O incômodo do lixo

Não é de hoje que não mais consigo levar o lixo até a lixeira sem culpa. Precisamos fazer alguma coisa com o nosso lixo. Tem sido constrangedor levar aquelas sacolinhas de supermercado cheia de lixo e saber que aquilo fará parte de um aterro sanitário, pura e simplesmente.

Pior incômodo se dá porque me sinto totalmente incapaz de fazer algo diferente. Não temos coleta seletiva, não tenho espaço para fazer uma composteira, e por mais que separe o lixo reciclável, dificilmente temos para onde encaminhar.

Talvez eu esteja sendo muito conformista com a situação e, enquanto isso, o lixo continua sendo descartado de maneira imprópria.

Mas pretendo me informar melhor sobre cada situação e tentar começar a revolucionar a questão do lixo, pelo menos aqui no prédio. Será um trabalho hercúleo, mas pelo menos reduzirá em parte a minha culpa.

E você, caro leitor: o que anda fazendo a respeito do lixo que produz?

Deixe um comentário

Arquivado em Cotidiano Nacional

Onde você estava na hora do Apagão?

Hoje, voltando da faculdade, enquanto passava pela estação de Osasco, reparei o quanto ela está iluminada, pelo menos na área central de embarque.

Então lembrei-me que se fosse na época do Apagão, eu veria no máximo uma penumbra.

Era uma quinta-feira, 11/03/99, às 22h16. Eu havia acabado de passar pela catraca do metrô Santana, na zona Norte de São Paulo. Custei a acreditar quando fui obrigado a deixar a estação e receber de volta meu bilhete. Sim, eles reembolsaram no ato. Sabia que não era uma simples falta de energia.

Nas ruas o caos era total. Naquela época, Santana convivia com ônibus elétricos – trólebus – e eles ajudaram a piorar o trânsito na região. Quando percebi que não poderia ir pra casa, fui buscar abrigo na casa de um amigo, que morava na Casa Verde. Apesar do caos, consegui ir de ônibus até a casa dele. Com muito custo consegui avisar em casa que não chegaria. Minha mulher estava no 6º mês de gravidez e pela primeira vez dormiria sozinha.

Eu confesso que não me lembro o que estava fazendo na zona norte aquela noite, visto que trabalhava no Ipiranga e morava na zona Oeste. E você, onde e o que estava fazendo?

Ao que parece até hoje o blecaute não foi explicado a contento, mas isso é assunto para especialistas.

Para saber mais, leia “Um caos mal explicado

Deixe um comentário

Arquivado em Cotidiano Nacional

A morte de um lutador

De 4 em 4 anos adquiro um exemplar do Almanaque Abril. O primeiro foi em 2001, depois 2005 e agora o de 2009.

E folheando-o me deparei com a sessão de mortes ocorridas em 2008. E qual não foi minha surpresa ao me deparar com o óbito do Dr. Judah Folkman ocorrido no longínquo 15 de janeiro de 2008.

Conheci e aprendi a admirá-lo nas aulas de Biologia Molecular. Folkman foi um incansável lutador contra o câncer e fez grandes descobertas e muitos avanços na área.

“Considerado um dos maiores especialistas em câncer no mundo, o pesquisador norte-americano JUDAH FOLKMAN cria uma nova maneira de combater a doença. Ao comprovar a relação entre o crescimento dos vasos sanguíneos e os tumores malignos, os estudos de Folkman permitiram o desenvolvimento de drogas que evitam a chegada do sangue até o tumor” (Almanaque Abril 2009).

Folkman morreu de infarto no estado americano do Denver. Tinha 74 anos.

Deixe um comentário

Arquivado em Ciência, Internacional

Para que serve o telefone celular?

Ainda hoje existem pessoas que não gostam do telefone celular, evitam chegar perto de um computador e tem verdadeiro pavor da internet.

Eu tinha certa “birra” com o telefone celular. Sempre usava como contra ponto o fato de que no passado as emergências e urgências também aconteciam e não existia o telefone celular para resolver uma coisa ou outra, mesmo que muitas destas não tinham solução.

Às vezes fica profundamente incomodado com o aparelho, que mais parecia um GPS, encontrando você onde quer que estivesse.

Mas há dois dias entendi porque temos que nos render a certas tecnologias e percebi que não dá para retroceder. Temos é que acompanhar os avanços. Imagina se tivéssemos resistido ao fogo?

Durante aquela tempestade que caiu no começo da semana, tive várias oportunidades de me desencontrar com minha esposa e certamente jamais teríamos nos encontrado se ainda vivêssemos em um mundo sem telefone celular. Por causa dele podemos medir todos os nossos passos e terminar a noite caótica sem grandes problemas, tirando a chuva obviamente.

Sim, devemos abraçar a tecnologia de uma vez  por todas e de um jeito ou de outro alcançaremos nossos objetivos para cada ocasião.

Deixe um comentário

Arquivado em Cotidiano Nacional

Vamos resolver o problema da Educação?

Por conta da licenciatura, estou cursando duas disciplinas no sábado: Didática e Psicologia da Educação.

As professoras são excelentes e vários aspectos dos problemas da Educação acabam por serem abordados em ambas as aulas, só que isso já está por demais cansativo.

E então, muitas das vezes, quando você está cansado de uma coisa que é exaustivamente repetida, porém sem resultados práticos visíveis, você invariavelmente começa a “desacreditar” de tudo aquilo.

E é exatamente isso que está acontecendo comigo. Será mesmo que a Educação tem um problema? Ou esse problema somos nós?

Pelo que percebi, existem várias literaturas que tratam da questão e cada uma apresenta uma solução, todas muito bem embasadas e aparentemente simples de serem aplicadas. Nas aulas todo mundo tem uma boa ideia para fazer uma escola melhor. Cenário perfeito? Não. A escola continua com problema e apesar de “conhecermos o caminho das pedras”, nada muda.

Até mesmo nossos executivos da Educação parecem ter boas ideias, mas por algum motivo, que decidimos denominar “falta de vontade política”, a Educação permanece com o estigma de ser um modelo falido.

Até quando vamos escrever e ler sobre os problemas da Educação e ficar apenas lendo e discutindo?

Deixe um comentário

Arquivado em Cotidiano Nacional, Educação

Cadê o Kassab?

Para ser sincero não sei nem porque eu estou estranhando a atitude do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM).

Fez uma boa campanha para prefeito, prometeu algumas coisas interessantes e conseguiu nos livrar da Marta Suplicy, o que por se si foi o seu grande feito como prefeito da maior e mais rica cidade do país.

Mas é nítido o “desaparecimento” do prefeito. O “mister calçada” (alusão feita ao fato de uma de suas poucas atividades ter sido a reforma de calçada por toda a cidade, em especial em áreas de maior poder aquisitivo – região da Paulista e Pinheiros, por exemplo) simplesmente não é mais visto, pois antes estava em todos os programas de televisão possíveis. 

E ao que parece também não cumprirá uma de suas maiores promessas de campanha, que era não aumentar a passagem de ônibus em São Paulo. Dizem por ai que o aumento está chegando.

No fim das contas, nada disso deveria mesmo ser uma surpresa, pois nós já tínhamos ideia que a coisa seria, ou ruim, ou pior. Tanto que anteriormente à eleição de Kassab, escrevemos sobre a escolha do paulistano.

Confira: “Todo castigo para eleitor é pouco

Deixe um comentário

Arquivado em Cotidiano Nacional

Você já foi excomungado hoje?

Todos devem estar cansados de ler e ver sobre o caso da menina estuprada aos 9 anos de idade e que passou por um aborto para interromper a gravidez.

O Cotidiano Nacional vem parabenizar duplamente a equipe médica e os responsáveis legais da menina.

Duplamente pelo seguinte: primeiro pela equipe médica ter realizado com sucesso a intervenção cirúrgica e segundo por serem “agraciados” pela Igreja com a excomunhão.

Ninguém, nem médicos e nem a família da menina, precisam se preocupar com esse absurdo (mais um de tantos) praticado pela Igreja Católica.  A excomunhão e nada é a mesma coisa!

Será mesmo que o fato de salvar a vida dessa menina não faz diferença? Será que o fato de devolver, na medida do possível, a infância dessa menina não faz diferença? Então que a Igreja Católica se recolha a sua insignificância.

Se a Igreja se preocupa tanto com as leis de Deus, porque não fazem nada em relação a padres pedófilos? Sem falar daqueles padres que vivem à custa dos “pobres” que pagam o dízimo. Eu falo com conhecimento de causa, pois conheci um padre desses em Bananal/SP que até reclamava da quantidade de dízimo que recebia.

Hipócritas, sim, são o  que vocês são. E nada como usar as próprias “escrituras sagradas” para colocar essa corja no seu devido lugar:

“Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas! Sois semelhantes aos sepulcros caiados: por fora parecem formosos, mas por dentro estão cheios de ossos, de cadáveres e de toda espécie de podridão”. (Mateus 23, 27)

Palavras do bispo de Olinda e Recife responsável pela excomunhão: “o aborto foi um crime e que a lei dos homens não está acima das leis de Deus.”

REPITO: porque isso não é usado contra os padres pedófilos? Dois pesos e duas medidas? O que mais o Vaticano vai esconder atrás das muralhas de sua cidadela? Talvez até Deus tenha vergonha de olhar pra lá!

Deixe um comentário

Arquivado em Cotidiano Nacional