Arquivo do mês: janeiro 2010

Reitor da USP toma posse na Sala São Paulo

João Grandino Rodas já é oficialmente o novo Reitor da Universidade de São Paulo (USP). A posse aconteceu no último dia 25 de janeiro na Sala São Paulo, numa cerimônia repleta de autoridades e com a devida importância que tem a maior universidade brasileira e uma das maiores da América Latina. A data marcava ainda o aniversário da cidade e da própria USP, fundada em 1934.

O leitor que acompanha o Cotidiano Nacional conheceu toda a trajetória das eleições na USP no ano passado.

Inicialmente com uma análise dos primeiros resultados e depois com a antecipação do nome daquele que seria o escolhido pelo governador José Serra. Para quem não sabe, a eleição consiste na formação de uma lista tríplice, e o governador pode escolher qualquer um dos três. Desta vez, o escolhido foi o segundo nome da lista. Isso não ocorria desde a ditadura militar, segundo informou reportagem da Folha Online.

Na USP há um sentimento de alívio e grande expectativa para a nova gestão. A postura inicial do Reitor antes mesmo de tomar posse justifica a fala de seu discurso: “primus inter pares” (Primeiro entre iguais). Leia o discurso de posse na integra.

A cerimônia transcorreu de forma tranquila, exceto pela presença de 50 manifestantes contrários a posse de Grandino Rodas e que protestavam também contra o aumento das passagens de ônibus (sic). Protestos agora são feitos por lote.

Outro ponto negativo do evento foi a organização por parte do Cerimonial da USP no que diz respeito a distribuição de convites. Ao que parece, os responsáveis subestimaram a importância da posse do Reitor da maior universidade brasileira, que possui um orçamento estimado em R$ 2,8 bilhões. Mas a cerimônia mostrou-se grandiosa ofuscando esse deslize institucional.

O CN deverá acompanhar a administração da Universidade e dará destaque aqui no blog, sempre que a ocasião merecer.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Cotidiano Nacional, Educação

Governo irá indenizar “vítimas” da talidomida

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou lei que concede indenização a pessoas com deficiência física causada pelo uso da talidomida.

O medicamento, usado como sedativo, era ministrado por médicos a gestantes e dentro dos 3 primeiros meses de gestação causava sérios danos ao feto, principalmente o encurtamento dos braços e pernas.

No Brasil, como não poderia deixar de ser, apesar de todos os avisos e informes sobre os perigos do uso do medicamento, ele só foi retirado do mercado em 1965 (1961 no resto do mundo) e mesmo assim continuou sendo usado indiscriminadamente por vários anos para tratamento de hanseniase.

Na verdade, a utilização, quando se fala em hanseniase, não é para tratar da doença propriamente dita, mas no “tratamento de estados reacionais” da doença (ABPST).

Acredita-se que a Lei possa trazer um pouco mais de conforto às pessoas atingidas pela irresponsabilidade dos órgãos governamentais que demoraram uma “eternidade” para perceber o perigo do uso do medicamento sem nenhum critério, ao que parece.

Apesar das aplicações do remédio em outros tratamento como AIDS , Lupus e outras, os perigos na utilização por mulheres ainda deve ser feito com muita cautela, visto que ainda não foi possível determinar quanto tempo o organismo demora para eliminá-lo.

O que precisa é seriedade e responsabilidade de nossas autoridades da saúde e respeito ao ser humano, acima de tudo.

Deixe um comentário

Arquivado em Ciência, Cotidiano Nacional

São Paulo completa 456 anos

A cidade de São Paulo comemorou nesta segunda-feira 456 anos de fundação. Muita coisa mudou de lá para cá e o portal SP Metrópole divulgou uma imagem interessante, uma linha do tempo denominada “A Construção de São Paulo“.

Infelizmente, apesar de inúmeras atrações espalhadas pela cidade, não há muito que comemorar. Inclusive já escrevi sobre isso hoje no Vivendocidade e por isso não pretendo me alongar aqui.

Passamos o dia praticamente embaixo de chuva. Rodovias alagadas, estradas desceram morro abaixo, bairros inteiros embaixo d’ água, buracos em ruas importantes da cidade, congestionamento no retorno à capital. O que nos espera amanhã, quando acordarmos e tivermos pela frente um dia inteiro de trabalho?

Parabéns a todos os paulistanos, nato ou “naturalizados”, por fazerem desta a maior e mais importante cidade do país e uma das mais importantes do mundo.

Não posso culpá-los pelo caos na cidade, mas posso culpá-los pelo o que vocês, nós incluído, faremos nas eleições de outubro próximo.

Pense bem em quem votar e quem sabe teremos dias melhores na Grande São Paulo. Do contrário, vamos engrossar os números daqueles que pretendem deixar a capital.

Deixe um comentário

Arquivado em Cotidiano Nacional

Cotidiano Nacional começa a cumprir promessa

Em 22/10/2008 o Cotidiano Nacional havia prometido que seria uma sombra no mandato do Vereador paulistano, Penna (PV).

Com um pouco de atraso, hoje estamos começando a cumprir essa promessa. Semanalmente o vereador Penna irá receber um email nosso que poderá ser: a) cobrança pelo silêncio de seu gabinete; b) apresentação de projetos de interesse da cidade; c) cobrando posicionamento por algum acontecimento na cidade e d) debate de ideias de acordo com suas respostas.

Eu espero sinceramente que o gabinete do vereador Penna esteja aberto para o Cotidiano Nacional e portanto, a partir de hoje, o contato será semanal.

Não começamos bem, pois o email enviado para o endereço do vereador na Câmara voltou, então fomos obrigados a usar uma espécie de formulário, disponível no site da Câmara. Durante a semana também iremos analisar o site do vereador que nos ajudará a cobrar atitudes do nosso vereador.

Acompanhe conosco essa lição de cidadania.

Deixe um comentário

Arquivado em Cotidiano Nacional

Terremoto no Haiti matou Zilda Arns, da Pastoral da Criança

Um terremoto de 7 graus na escala Richter vitimou no último dia 12 a médica pediatra e sanitarista Zilda Arns.

Ela estava no Haiti pela causa humanitária que trabalhou toda uma vida e morreu exatamente enquanto falava de seu trabalho para pelo menos 1 centena de pessoas em uma igreja.

Os brasileiros conhecem bem o trabalho de Zilda Arns e a perda é irreparável. O Cotidiano Nacional faz questão de agradecê-la, infelizmente somente após a sua morte, mas sempre admiramos seu trabalho e temos vários integrantes da família que participam da Pastoral da Criança no interior paulista.

Hoje, ao chegar ao meu trabalho, as bandeiras já estavam a meio pau, em sinal de luto pelas mortes ocorridas no Haiti. Estamos pesarosos também pela morte dos 14 brasileiros, militares valorosos que morreram cumprindo sua missão e que devem receber honrarias de nosso presidente, que deve estar presente quando da chegada dos corpos.

Mas agora quero falar de vida. Quero falar de Richard Morse (@RAMhaiti). Desde a tragédia ele vem usando o Twitter para contar tudo o que está se passando na capital do país, Porto Príncipe. Não só ele, mas pelo menos mais três locais relatam o cenário de horror de um país devastado pela força da natureza.

Mas Morse está mais atuante e passa boa parte do dia online. Não sei como ele está fazendo para se conectar, mas ele tenta passar o que sente, vê e escuta. Fala do barulho constante de aviões e helicópteros. Disse ainda que “as ruas da cidade são o quarto e a sala do Haiti”.

Através do micro blog twitter (sim, não site de relacionamento com alguns dizem, erradamente) Morse nos aproxima de sua dor e da tragédia de seu povo. Ele conta que as pessoas estão esperando no estádio o atendimento médico e a distribuição de alimentos e água. Em um de seus relatos ele fala que a embaixada brasileira (provavelmente se refere ao prédio da missão de paz)  está em colapso.

Mas o relato mais impressionante foi sobre as mortes: “A visão e o cheiro dos corpos em decomposição são desagradáveis”. Ele pede para as pessoas não tocarem nos corpos, mas que estes sejam cobertos.

É impressionante a serventia dos meios de comunicação e dos avanços da tecnologia. Através de um celular é possível narrar fatos que estão acontecendo naquele instante e ainda tirar uma foto e publicá-la em segundos na internet para que todo o mundo tenha acesso.

É assim que a história do Haiti está sendo contada por Richard Morse. Enviamos uma mensagem de apoio via twitter e esperamos dias melhores para todo o povo  haitiano.

Deixe um comentário

Arquivado em Cotidiano Nacional

Lula e os caças

Outro assunto cansativo e que mostra o caráter ditatorial do presidente Lula é a compra dos caças para a FAB.

A Aeronáutica acaba de entregar um relatório deixando o caça francês em terceiro lugar, numa concorrência onde participam três fornecedores. Concordo em parte que o barato pode sair caro, mas também confio no julgamento técnico dos aeronautas.

Mas quem será que sabe mais? Para estudar em instituições militares é preciso “ralar” muito. Quem nunca ouviu falar de ITA, IME e Escola Naval? Não é fácil entrar em uma dessas instituições.

Mas e para entrar na Presidência da República?

Eu tenho quase certeza que o presidente Lula tem os seguintes pensamentos:

“Não vou comprar os caças americanos porque não vou me sujeitar ao imperialismo yanquee”.

“Não vou comprar o caça sueco porque não conheço essa marca”

“Vou ficar com o francês, afinal, a França é um país sério e o Sarkozy é meu amigo e a mulher dele é a mais bonita de todas.”

Apesar de tudo, não vou deixar o nobre leitor esquecer que temos o governo que merecemos.

E para finalizar, se não bastasse isso tudo, temos que aturar uma figura lamentável que é o Celso Amorim que faz o Brasil ser, no estrangeiro, não respeitado como diz a propaganda do (des)governo Lula, mas motivo de chacota.

Até quando?

Deixe um comentário

Arquivado em Cotidiano Nacional

O maior descaso do governo Lula

As desgraças acontecidas na passagem do ano em Angra dos Reis (RJ) e São Luiz do Paraitinga (SP) foram grandes e tomaram proporções gigantescas por conta do descaso do Presidente Lula (outra desgraça brasileira).

Lula estava em férias e em férias continuou, enquanto famílias inteiras eram enterradas e casas aos montes eram demolidas. É o maior descaso da história de um governante, por mais que mesmo que ele aparecesse e nada pudesse fazer, a sua preocupação com a população (mesmo que ele na real não estivesse nem ai).

Mas tem um detalhe importante que pode “livrar a cara” do presidente, pelo menos um pouco, não é mesmo? A tragédia em São Luiz do Paraitinga foi mais histórica e cultural. Como esperar do Lula que ele possa sentir algo em relação à pequena cidade paulista, se ele mesmo nem deve saber onde fica, nem deve saber da importância da cidade no passado. Afinal, ele geralmente não sabe de nada. É querer demais.

Vladimir Putin interrompeu suas férias quando o submarino Kursk naufragou, em março de 2000. É bem verdade que ele recusou enquanto pode ajuda internacional para tentar tirar aquela “carroça” do fundo do mar ou ao menos tentar salvar vidas. Pagou o preço de enterrar 118 cidadãos russos.

Barack Obama também interrompeu suas férias no Hawaii  e foi cuidar de seu povo mais recentemente. Preocupação é um item que o presidente não deve saber o que significa.

É público e notório a necessidade que os governantes têm de colocar seu povo em primeiro lugar, só assim poderemos ter orgulho daquele que é o mandatário da nação, aquele em que nós nos espelhamos. Aquele em que nós temos orgulho de ensinar para o nossos filhos que deve-se respeitar às autoridades e as instituições. Existe isso com Lula? Eu tenho vergonha dele e espero ansiosamente o fim de 2010.

Não quero só criticar o presidente Lula, quero mostrar a ele o quanto eu estou triste com seu descaso. Não me alegra sentir vergonha do presidente do meu país.

P.s.: Nem vou citar a Dilma porque, primeiro ela não é nada no governo. O que, ministra da Casa Civil? Onde? Quando? Segundo porque dizem por ai que ela está com a gripe suína, então é melhor se cuidar porque ela já tem a saúde debilitada por causa do tratamento a que se submeteu. O que é certo, é certo.

Deixe um comentário

Arquivado em Cotidiano Nacional