Arquivo do mês: outubro 2013

Eleições na USP, 2º capítulo

Parece que as eleições na USP ganharam um pouco mais de dramaticidade com a invasão do prédio da Reitoria na última terça-feira. Os alunos querem votar para Reitor.

A reunião do Conselho Universitário, que tem como sigla CO por motivos óbvios, aprovou algumas mudanças na forma de votar.

Antes havia 2 turnos e agora a votação será única, com a escolha que 3 nomes que deverão ser encaminhadas ao governador. Outra mudança é que o candidato deverá se declarar como tal. Antes, qualquer professor titular era um candidato potencial a Reitor, a não ser que fizesse uma carta pedindo para não ser elegível. Com as novas regras, o candidato deverá formar uma chapa com seu vice (antes o vice era escolhido depois do Reitor) e se desincompatibilizar de cargos que ocupem na atual administração. Muitos deles são diretores de unidade, pró-reitores, coordenadores, etc.

Os partidários deste novo formato acreditam que em votação única, serão diminutos os conchavos, muito comuns entre o 1º e o 2º escrutínio do formato anterior. Dizem as más línguas que davam cargo até para as mães, se o objetivo final era ter um quadro na parede na galeria dos reitores.

Enfim, eleições marcadas para 19 de dezembro com uma USP já esvaziada por conta das férias. Desculpem os tolos alunos que entram na universidade pública, mas nossos professores são doutores, em diversas áreas.

Enquanto isso, surge um novo nome na corrida reitoral. Vahan Agopyan, atual pró-reitor de pós-gradução, professor da Poli e ex-presidente do IPT. Vahan substitiu Cerri, que ainda não se manifestou, mas terá que fazer por conta do novo modelo.

Voltando à questão da invasão da Reitoria, os alunos querem o que mesmo? Votar para Reitor? Se soubessem pelo menos o nome do professor que dará a próxima aula já seria um grande avanço. Daí a escolher o Reitor da USP… Sem comentários.

Deixe um comentário

Arquivado em Sem categoria