Arquivo do mês: julho 2014

Copa de 2018, porque não na Holanda?

Hoje li um artigo interessante no Estadão (link abaixo) e penso que cada um deveria refletir fortemente sobre o assunto.

Simplificando ao extremo e correndo o risco de ter entendido tudo errado, a jornalista sugere que a Fifa puna a Rússia pela derrubada do voo MH17 da Malásia Airlines e transfira a Copa do Mundo para a Holanda.

Eu sou extremamente a favor dessa mudança radical de pensamento. Não podemos mais permitir que a impunidade percorra o planeta e traga tristeza apenas àqueles que perderam com este ou com qualquer outro evento de proporções devastadoras.

A agulhada que ela dá na presidente Dilma mostra bem o “tipo de gente” que nos lidera. Não deixe de ler.

http://cultura.estadao.com.br/noticias/geral,o-meridiano-do-mh17-imp-,1531769

 

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Sem categoria

Teve Copa

Sim, tivemos copa e foi muito superior ao que eu imaginava. Ficou um gostinho amargo  que não ter participado de forma ativa, principalmente depois que vi pessoas de outros países que, desde o anúncio em 2007, se preparam guardando dinheiro e preparando suas viagens. Se eu tivesse feito isso, tenho certeza que minhas viagens seriam bem mais baratas do que a dos estrangeiros.

Foi um momento de superação do país, mostrando aos governantes que as coisas devem ser feitas de forma despretensiosa, sem intenção de levar vantagem em tudo, como é do nosso costume, ou segundo o ex-presidente Lula, é cultural. Porque não poderíamos apenas fazer o que era necessário e de alguma maneira melhorar a vida do povo. Creio que a principal, e já seria de bom tamanho, era na questão do transportes. Se pelos menos as obras relacionadas a isso tivesse sido feitas, tenho certeza que os dias seguintes ao término da copa já valeria a pena.

Obviamente que ainda vamos discutir o uso e os custos para manutenção dos estádios. Afinal, não se pode ganhar sempre.

De uma forma ou de outra, comecei uma preparação para participar da próxima copa na Rússia, em 2018. Descobri que preciso sempre ter um ponto no horizonte, e Moscou será o nosso destino.

 

Deixe um comentário

Arquivado em Sem categoria