Arquivo do mês: junho 2008

100 anos do Evento Tunguska

Foi em uma manhã provavelmente gelada, do dia 30 de junho de 1908, que algo explodiu no céu ou caiu na Sibéria Central devastando uma área de 2.100 Km2 de floresta. Se foi um asteróide, um cometa ou uma nave alienígena, ninguém sabe, pois nenhum destroço ou fragmento fora encontrado, mesmo depois de 100 anos.

São muitas as curiosidades que envolvem este episódio que ficou conhecido com o “Evento Tunguska”. Uma delas é que só em 1927 uma expedição chegou ao local. Ou seja, 19 anos depois do acontecido. Essa foi a visão dos expedicionários:

 Essa foto é creditada aos integrantes da Expedição do russo Leonid Kulik.

Impressionante ver que mesmo depois de tanto tempo o local parecia (e estava) intocado.

A região é de difícil acesso, passa de 8 a 9 meses sob frio intenso (lagos e florestas congelados) e certamente não havia Google Earth naquela época.

Agora, parece que o mistério poderá ter um fim. Cientistas italianos descobriram que no fundo do lago Cheko, que fica a 8 km do provável epicentro da explosão/queda e que teria sido formado em 1908, existe um possível fragmento do responsável pela destruição.

Para maiores informações, o artigo sobre o Evento foi publicada na Scientif American Brasil de Julho e o Google Earth possui mapeada a localização do evento bem como do lago Cheko (foto abaixo).

P.s.: O Evento Tunguska já foi objeto de menção do Cotidiano Nacional, no artigo que fala sobre o asteróide Apofis, que poderá colidir com a Terra em 2036. Confira!

Leia também: Natureza do objeto extraterrestre que colidiu em 1908 ainda é misteriosa

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Ciência, Internacional

A taça do mundo é nossa

Há exatos 50 anos o Brasil entrava para o rol da fama do futebol. Depois dos fracassos de 50 e 54, no Brasil e na Suíça respectivamente a seleção brasileira conquistava seu primeiro título mundial.

Foi num domingo, na Suécia, contra os donos da casa, um passeio em campo: Brasil 5 x 2 Suécia. Daquela equipe fantástica, 13 ainda estão vivos, dentre eles: Gilmar, Pepe, Zito, Zagalo e Pelé.

Na época meu pai tinha 8 anos e não tive oportunidade de, em vida, questioná-lo sobre suas possíveis lembranças do acontecimento. Mas hoje é bastante emocionante ouvir as histórias dos ex-jogadores. As mais interessantes são em relação aos prêmios que a eles foram dados ou prometidos, pois alguns até hoje ainda não foram entregues.

Naquela época os jogadores não ganhavam os rios de dinheiro que ganham hoje, e atualmente muitos passam dificuldades financeiras e sérios problemas de saúde. Segundo informações veiculadas em um programa esportivo da TV aberta, parece que estudam a possibilidade de conceder uma aposentadoria vitalícia aos 13 “sobreviventes” de 1958, paga pela CBF.

Ainda neste mesmo programa esportivo contaram que em 1958 a seleção fez dois amistosos na Itália, e o pagamento por cada amistoso foi de 12 mil dólares. Atualmente uma apresentação da seleção rende 2 milhões de dólares aos cofres da CBF.

Dinheiro não é problema, falta é vontade política dos coronéis do futebol. Seria um prêmio tardio, mas mais do que justificável.

Deixe um comentário

Arquivado em Esportes

Cotidiano Nacional completa 1 ano

Há exatamente 1 ano nascia o Cotidiano Nacional, com intuito de oferecer ao leitor uma nova ótica sobre os diversos acontecimentos do nosso dia-a-dia.

Nesse ano que passou fizemos muitas críticas sobre os inúmeros absurdos ocorridos em nosso país, e lá fora também. Recebemos muitos leitores, vários elogios e algumas críticas. Em alguns momentos tivemos dúvidas sobre o trabalho desenvolvimento (motivado exatamente pelas críticas) mas, convencidos pelos números, que não mentem jamais, ganhamos a confiança que precisávamos para continuar trabalhando e ajudando a todos a enxergar com outros olhos as notícias.

Recebemos até o momento mais de 16 mil visitas e os números crescem a cada dia. Na próxima semana iniciaremos uma série de reportagens com os principais números do Cotidiano.

Por questão do primeiro aniversário, o Cotidiano Nacional estréia hoje um novo header, gentilmente cedido por Douglas Klabunde, autor do blog Zona do Douglas. Klabunde é velho conhecido nosso e tem no currículo o banner de um antigo trabalho: o jornal A Labareda.

Aos nossos leitores, o nosso mais sincero muito obrigado. Vocês são os responsáveis por nosso sucesso.

Deixe um comentário

Arquivado em Especial 1 ano

DF: O cupuaçu é nosso

O presidente Lula sancionou a Lei 11.675, de 19 de maio de 2008 publicada no Diário Oficial da União do dia 20. A presente lei reza o seguinte:

“Artigo 1º – O cupuaçu, fruto do cupuaçuzeiro (Theobroma grandiflorum), é designado fruta nacional.

Artigo 2º – Esta lei entra em vigor na data de sua publicação”.

Simples e direta, não? Sem parar pensar, até dá para imaginar que está faltando trabalho em Brasília, mas acredito que a lei é justa e necessária.

Para quem não sabe, o cupuaçu estava registrado como marca em três países: Alemanha, EUA e Japão. Em 2004 os registros indevidos foram cancelados. O caso mais recente de cancelamento de registro foi o do Açaí, que desde 2003 estava registrado como marca de uma empresa japonesa.

Com todo respeito às comemorações dos 100 anos da Imigração, é muita cara de pau dos japoneses e dos demais países em registrar um produto que eles nem sequer sabem o que é.

Se o registro continuasse com os japoneses e tendo a intenção de exportar a fruta para eles, teríamos que mudar o nome da fruta ou pagar royalties. Completo absurdo!

Além do cupuaçu e do açaí, “a rapadura e o escapulário – pequeno cordão com imagens de santos, usado no pescoço – já foram registrados indevidamente como marca fora do País”. (RTS)

A reportagem sobre o assunto é da Rede de Tecnologia Social mas o texto integral não mais está disponível.

Deixe um comentário

Arquivado em Viagens pelos Estados

Cotidiano Nacional completará 01 ano de existência

O Cotidiano Nacional fará seu primeiro aniversário no próximo dia 29 de junho. Para as comemorações estão previstos um novo header além da divulgação das estatísticas alcançadas ao longo desses primeiros 365 dias.

Havendo tempo hábil, projeta-se ainda a criação de novas séries e a retomada da “Viagens pelos Estados“, que consiste em colher informações curiosas por este imenso Brasil e retratá-las aqui, à moda do Cotidiano. Para quem não se lembra ou ainda não conhece a série, clique no link acima.

O Cotidiano Nacional agradece as visitas recebidas e espera poder contar com todos nessa nossa próxima temporada.

Deixe um comentário

Arquivado em Especial 1 ano

Pará: eles sentaram e esperaram a morte chegar

A Santa Casa de Misericórdia de Belém, no Pará, permitiu a morte de 12 recém-nascidos no último de semana. Isso porque todos já haviam sido alertados deste risco.

Mas nada foi feito e agora as autoridades vêem a público dizer que a coisa não é bem assim. Tenta explicar isso para 12 mães. Absurdo completo que pessoas com um mínimo de comprometimento com a verdade não podem deixar a coisa terminar assim, sem ninguém sendo responsabilizado.

Isso é um recado direto para os Senadores que vão votar em breve uma nova “contribuição” para a saúde. Mas não é para entender errado: a CCS deve ser reprovada porque o que aconteceu em Belém mostra o que foi feito do dinheiro arrecado pela CPMF. Para a saúde é que não foi.

Espero que o povo do Pará possa se indignar, porque para matar golfinho e fazer amuleto eles prestam; espero que sirvam para cobrar providências das autoridades sobre este caso. Do contrário, merecem o governo que tem.

Deixe um comentário

Arquivado em Viagens pelos Estados

Globo: de mal a pior

É simplesmente inacreditável que no exato momento em que escrevo este post está acontecendo a decisão da Taça Libertadores da América, entre Fluminense e LDU (Equador) e nós, de São Paulo, estamos assistindo Corinthians e Bragantino, pela segunda divisão do campeonato brasileiro.

Quem foi o “gênio” que decidiu isso? A Globo está repleta de incompetentes. Incompetentes em dose dupla, por sinal, primeiro por propor algo dessa natureza, chega a ser imoral. Segundo, por estar perdendo audiência para a Record, que é o lixo do lixo televisivo. (Neste momento sai o segundo gol da LDU, 2 x 1 Fluminense)

Transmitir um jogo da segunda divisão em detrimento da final da Libertadores é um dos muitos absurdos da Globo. Eu não sou torcedor do Fluminense e agora (sai o terceiro gol da LDU), talvez fosse melhor para eles, assistir qualquer coisa, quem sabe até um joguinho da segunda divisão.

Em tempo: o jogo do Corinthians está à altura da segunda divisão: várzea da melhor qualidade. O leitor pode dizer que é muito simples resolver essa situação. É só desligar a TV. Eu não vou fazer isso porque futebol assisto até Jabaquara versus Itaquaquecetuba! Ao fim do jogo, faço um rápido balanço para o nobre leitor.

Em tempo 2: Fim de jogo, o de sempre aconteceu: Kleber Machado narrou de forma apática o gol do Bragantino, o Juiz arrumou uma expulsão para ajudar o Corinthians (já o penalti foi escandaloso, não dá para reclamar), e o Dentinho fez o maior papelão do jogo, não devolveu a bola pro Bragantino na ocasião de um atendimento. Ah, o jogo foi 1 x 1. Na Libertadores, LDU 4 x 2 Fluminense 

Deixe um comentário

Arquivado em Esportes