Arquivo da categoria: Viagens pelos Estados

Pernambuco: o voto de Bruno Araújo

 

João Santana, do Recife, especial para o Cotidiano Nacional

 

O término da votação de ontem pelo encaminhamento do processo de impeachment da senhora Presidente Dilma ‘Tchau Querida’ Rousseff guardou, para mim, um momento de reconciliação com o meu próprio passado.

Não nego que já fui marxista, convertido ainda adolescente depois do impeachment de Collor e filiado ao PCdoB desde 1999. Bruno Araújo tinha sido eleito deputado estadual um ano antes, e mantinha sua influência no movimento estudantil que àquela época era disputado palmo a palmo pelo PCdoB e pelo PSTU. Em alguns momentos recentes da história de Pernambuco acabamos por estar em lados opostos, como nas greves contra o Governo Jarbas Vasconcelos (1998-2006) e no Fora FHC. Nunca nos confrontamos no campo das ideias diretamente, mas sempre me opus aos seus posicionamentos nos lugares estudantis onde ele tinha alguma influência, e por várias vezes praguejei diante de alguma vitória do socialdemocrata, fosse na Alepe (Assembleia Legislativa de Pernambuco), fosse no movimento estudantil.

As contradições do marxismo me levaram à reflexão sobre suas virtudes e daí à leitura de alguns livros do Index Librorum Prohibitorum socialista, entre eles 1984 e Perestroika. O marxismo não era mais possível para mim depois disso e, buscando novos caminhos alinhados ao meu novo pensamento ideológico, já socialdemocrata na linha de Rosa Luxemburgo, encontrei abrigo onde menos esperava – no PSDB. Ali, enquanto me reacomodava ideologicamente, passei a observar melhor aqueles a quem taxei de adversários, entre eles, o já deputado federal Bruno Araújo. O ódio de antanho deu lugar ao respeito.

bruno-araujo-foto-psdb-na-camara1

Fonte: PSDB

Não estou mais no PSDB (o ser político erra ao continuar defendendo politicamente ideias com as quais não mais concorda), e a socialdemocracia já passou, mas o respeito por Bruno Araújo e por outros políticos oposicionistas com quem tive a oportunidade de trocar duas palavras continua. Ontem, ao pronunciar seu voto a favor do encaminhamento ao Senado, o respeito tornou-se orgulho, por ter sido ele o deputado pernambucano a fechar a fatura.

O Brasil agradece, Bruno.

João ANTONIO Santana não é publicitário, mas gestor de recursos humanos, avôhai e escritor nas horas vagas

Deixe um comentário

Arquivado em Viagens pelos Estados

O drama da violência no Brasil

Depois de muito pensar em um título, só sobrou esse com cara de tema de tcc.

Mas vamos ao que interessa: São Paulo é um dos lugares mais perigosos do país. A violência impera e o poder público não sabe bem como agir.

E não falo só da capital. Mas no interior a violência também é crescente. As drogas fazem parte do cotidiano de cada município paulista, mesmo os pequenos.

Confesso que tem hora que tenho receio de sair de casa ou de chegar em casa após escurecer. Mas não podemos nos render à violência.

No entanto, apesar de toda a violência, tenho mais medo de lugares como Pará ( que considero uma terra sem lei) e Maranhão. Quando o Pará sai das notícias, entra o Maranhão.

O curioso é que tanto a administração paulista como a maranhanense estão carecas de saber (São Paulo principalmente) qual é o problema, mas se mostram impotentes. Essa foi a impressão que a Governadora Sarney passou hoje.

Esperam até o último minuto, quando o caos toma conta das ruas e presídios para então pedir ajuda ao governo federal. Tudo isso por melindre e orgulho.

Agora fazem reunião para resolver o problema. O orgulho fez com que uma menina de 6 anos perdesse sua vida. Os presídios, abarrotados, tem cara e jeito de transformarem em outro carandiru e todo governante tem arrepio só de imaginar. (Fleury que o diga).

Agora, fora de controle, a solução é simples: tropas federais nas ruas e chefes do crime espalhados por presídios federais, bem longe de seus familiares.

Que os acontecimentos no Maranhão sirvam de exemplo para os governadores. Aproveito para lembrá-los que esse ano tem eleição.

Deixe um comentário

Arquivado em Cotidiano Nacional, Eleições, Viagens pelos Estados

Cotidiano Nacional e Vivendocidade ampliam parceria

O nobre leitor do Cotidiano Nacional sabe que às sextas-feiras este editor escreve também no blog Vivendocidade, de Carlos Filho.

No começo da semana, no entanto, decidimos aumentar a participação do Cotidiano Nacional “transferindo” para o Vivendocidade a série Viagens pelos Estados.

Na verdade não é bem uma transferência, pois haverá algumas modificações no formato. Antes, só noticiamos algo publicado na mídia eletrônica local. Agora, no Vivendocidade, vamos contar um pouco da história do Estado, com o estilo “Cotidiano Nacional” e então reproduzir ou comentar uma reportagem local, que seja pitoresca.

Penso ser interessante essa abordagem, até mesmo para mostrar ao brasileiro que a choradeira do Sérgio Cabral por causa do pré-sal é injustificada, pois no passado nós sacrificamos a maioria dos estados do país em favor de Minas, Rio e São Paulo.

Mas essa não é a principal preocupação do Cotidiano ou do Vivendocidade, mas acho ser extremamente importante ter conhecimento dos Estados que compõem a Federação. Obviamente que a abordagem será simplificada, mas o CN estará pronto a receber dúvidas e passar dados mais detalhados sobre a situação em cada Estado, em qualquer área que o leitor tenha interesse em se informar.

As reportagens ainda não têm data para começarem, mas provavelmente já teremos pronta a primeira reportagem. A escolha do Estado seguirá um método simples, a alfabética, o que nos fará começar pelo Acre.

Espero que o leitor possa aproveitar ao máximo e nos brindar com distinta companhia.

Deixe um comentário

Arquivado em Cotidiano Nacional, Viagens pelos Estados

Roraima: A violência que ninguém vê

Os moradores das regiões Sul e Sudeste são prejudicados pela mídia que só presta para vender seus jornais e nada mais. Estamos diariamente na televisão e nas primeiras páginas, por causa da violência que impera nos grandes centros do país.

Mas existe uma violência pior, aquela que ninguém vê porque o estado em questão não serve para vender jornal, afinal, quem se importa com Roraimas e Acres da vida?

O Cotidiano Nacional se importa! Roraima poderá ter o seu 4º governador em 5 anos. É uma grande vergonha para uma nação “democrática” como o Brasil. O primeiro, Flomarion Portela (PT) foi cassado, o segundo morreu durante o mandato e agora o atual governador, José de Anchieta (PSDB), poderá ser cassado por abuso de poder político e compra de votos. As informações são do G1.

Curiosamente o primeiro governador cassado era do PT e o “da vez” é do PSDB. Será que isso significa dizer que PT e PSDB são farinha do mesmo saco?

Alguns estados envergonham a Federação e certamente Roraima é um deles. Campeão de queimadas e desmatamento, além dos problemas com índios. Certamente só não apresenta mais problemas porque tem somente 15 municípios. Menos “boca” para alimentar.

Quem sofre nisso tudo é a população, em especial os servidores públicos, que não recebem seus salários e as condições de trabalho devem ser as piores possíveis. É ai que reside um crime pior do que a violência de Rio e São Paulo.

De fato a população de Roraima sofre, mas eu ainda acredito na máxima: “O povo tem o governo que merece”. 2010 está chegando e eu não cansarei de implorar para que os eleitores votem de forma responsável. Eu sei, é pedir para um povo medíocre como o brasileiro, além de “subnutrido” culturalmente.

Deixe um comentário

Arquivado em Viagens pelos Estados

Piauí: Por quem os sinos dobram?

Na semana em que acontece a Conferência do Clima em Copenhague, que poderá definir o nosso futuro, ou não, os sinos de Teresina irão dobrar.

A Igreja de São Benedito irá badalar seu sino 350 vezes, simbolizando a marca determinada pelos cientistas do limite aceitável de CO2 na Atmosfera: 350 partes por milhão. As informações são do Portal meionorte.com

Enquanto isso, em Copenhague, os protestos se intensificam e os governantes tentam chegar a um acordo razoável.

Pessoalmente desacredito que algo possa ser resolvido enquanto o interesse financeiro estiver acima de tudo. É importante produzir e consumir, mas existem formas sustentáveis. É preciso além da vontade política, deixar de lado a ganância desenfreada.

Acho importante essas participações isoladas de setores da sociedade, principalmente de estados que pouco passam na TV, como o Piauí. O Brasil não se resume só a SP e estados do Sul, mas somos uma Federação e as vozes devem ser ouvidas.

Será que o Presidente está ouvindo?

Deixe um comentário

Arquivado em Viagens pelos Estados

MT: A justiça é justa?

O post de hoje retoma oficialmente a série “Viagens pelos Estados”, que o nobre leitor pode acompanhar clicando no link à sua direita, abaixo, em “Categorias”.

Vamos tratar de umas prisões ocorridas em Cuiabá e que vigoraram por menos de 24 horas.

Tomamos conhecimento através do Diário de Cuiabá que a Polícia Federal, através da operação “mala preta”, prendeu 28 pessoas suspeitas de causarem um prejuízo de R$ 3 bilhões, isso mesmo R$ 3 bilhões. O dinheiro advém da sonegação de impostos de produtos agrícolas.

Esse valor representa, se fosse feita uma partilha “justa”, R$ 107 milhões para cada indivíduo. É óbvio que isso não existe, mas é só para o leitor ter uma ideia da gravidade da situação.

Tenho certeza que a investigação deve ter durado meses e envolvido muitos agentes federais, que recebem seus salários através do nosso pagamento dos impostos. Ou seja, são servidores públicos e recebem recursos públicos. Cada um de nós contribui com o salário desses policiais.

Também acredito que essa investigação consumiu muito recurso financeiro. Penso até que a PF deveria divulgar quanto custa uma operação para desbaratar uma quadrilha como essa. Esses indivíduos não pagam impostos, por isso foram presos”.

Mas então eis que surge a justiça e em menos de 24 horas manda soltar TODOS os envolvidos. Os 5 que entraram com pedido de habeas corpus e os 23 que não pediram. A justiça alega que o “benefício” deve se estender a todos os envolvidos (não vamos entrar no mérito).

Eu só consigo pensar na velha máxima: Rico não fica preso. Os R$ 3 bilhões que eles desviaram é suficiente para pagar qualquer advogado e até mesmo outras pessoas, sejam elas quem for.

Responda-me se for capaz: A justiça é justa ou é só cega?

Deixe um comentário

Arquivado em Viagens pelos Estados

DF: Todos os partidos envolvidos com Arruda

Apesar de ter sido amplamente divulgado, a corrupção no DF ficou morna rapidamente. Alguém sabe o motivo? Porque praticamente todos os partidos estão envolvidos.

As cenas divulgadas são horríveis, impróprias para pessoas que tenha um mínimo de caráter e mereceriam ações mais enérgicas. Não vamos relatá-las aqui pois não é nossa intenção pregar a violência física contra ninguém, principalmente pessoas “religiosas” como algumas daquelas.

O caso no DF era caso de polícia e me trouxe a memória o falecido deputado João Alves (que já foi tarde!). Quando ele disse que Deus o havia ajudado e por isso ele ganhou tantas vezes na loteria, ele deveria ter saído do plenário algemado direto para a cadeia.

Foto: Bahia Notícias

Isso é o que deveria ter acontecido com o governador Arruda e seus asseclas. No dia seguinte um comando da polícia ou deveria ficar na porta da casa dele ou esperando-o no palácio do governo distrital. Chegou, é cana dura no ato.

Mas temos que seguir os tramites legais e conceder a todos o direito de ampla defesa (nem acredito que estou escrevendo isso). Mesmo assim, acho a situação de Arruda complicada e seria melhor que ele pedisse para sair. Ou melhor, deixa ele ficar para quem sabe ser escorraçado do governo e sair pela portas dos fundos.

Mas antes é preciso verificar direitinho quais deputados distritais estão na folha de pagamento do cínico do Arruda. Falando em cínico, alguém lembra que esse pilantra chorou em plenário?

E o que dizer do DEM? (antigo PFL do também morto ACM). Expulsão sumária seria pouco, mas o partido enfiou o rabo entre as pernas depois das ameaças proferidas por Arruda. Mais uma prova concreta de que o partido só mudou de nome mesmo, continua formado e liderado por corruptos.

Não há mais o que dizer sobre o caso sem correr o risco de perder a razão.

Deixe um comentário

Arquivado em Viagens pelos Estados